Páginas

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

O “Lixo Extraordinário” de Vik Muniz

entulho_Vik
Foto da obra de Vik Muniz baseada no quadro Marat Assassinado.


Vocês lembram da novela Passione do Silvio de Abreu? A novela vocês apaguem da memória, o que interessa é a abertura dela que foi realizada por Vik Muniz. Opa, beleza! Mas e quem é esse cara? Ele é um dos muitos brasileiros que dá um p#%@ orgulho de saber que faz sucesso fora do seu país. A obra da foto acima faz parte do curta metragem “Lixo Extraordinário” que concorreu a um Oscar.

A foto da obra acima é inspirada no quadro pintado por Jacques-Louis David retratando a morte de Jean-Paul Marat, revolucionário francês, assassinado em casa por Charlotte Corday. Ela está exposta no Musées royaux des Beaux-Arts de Belgique em Bruxelas, que eu recomendo (te mete !?!?!).

O que torna a sua arte diferente são os materiais utilizados na criação que pode ser sucata, poeira, macarrão com molho de tomate, caviar, pasta de amendoim, diamantes, geléia de fruta, calda de chocolate entre outros recursos para dar a ilusão desejada na obra.


aereo_Vik
Aqui ele fez a foto criando a ilusão da nuvem com o auxílio de um avião acrobático.


O CCB (Centro Cultural de Belém) que abriga a coleção  de Joe Berardo, é um espaço sensacional que possibilita o acesso às exposições “digrátis”. E a exposição “VIK” é a maior retrospectiva do artista onde uma centena de trabalhos seus podem ser vistos.


cachimbo_Vik Entre as muitas fotos de figuras enormes feitas com uma retroescavadora, há esta de um cachimbo.


apache_Vik
A ilusão é tudo nestes quadros. Lembra daquelas peças de plástico do brinquedo Forte Apache? Pois é. Imagina então quantas pecinhas daquelas devem ter sido necessárias para montar cada quadro destas fotos?


LizTaylor_Vik
Se Liz Taylor viva fosse, é certo que ela iria querer este quadro dela todo em di-a-man-tes.


VIK
Autoretrato feito com milhares de pedaços de papel de revistas e jornais.

Como diz um cartaz da mostra do CCB “Vik Muniz trabalha em vários níveis de compreensão: num primeiro momento, o que você vê é a fotografia. Depois, vê para além dela todo um pensamento filosófico e sensorial por detrás de cada imagem, repleta de duplos sentidos.” E ainda que ”para ele, o artista faz metade do trabalho. A outra metade é feita pelo espectador, que exerce um papel ativo.”

Então #ficadica para quem estiver em Lisboa. Uma visita ao CCB ver a exposição do Vik Muniz que estará lá até dia 29 de janeiro de 2012, convidando a todos a reinventar um novo olhar sobre as suas obras.

Um comentário:

  1. "Vários níveis de compreensão..." Adorei este post, Lu!

    ResponderExcluir

Deixe-me saber um pouco do que você achou deste post. Seus comentários e sugestões são sempre entendidos como uma generosa doação do seu tempo. Obrigada!